quarta-feira, 31 de dezembro de 2008

DONA FLOR E SEUS DOIS MARIDOS

Muitos dos livros de Jorge Amado já foram adaptados tanto pelo cinema, quanto para as telenovelas, o livro Dona Flor e Seus Dois Maridos, escrito por Jorge Amado, foi um deles. Publicado em 1966 o livro é dividido em cinco partes, e segundo o site Resumos de livros: “cada uma era aberta por uma lição de culinária de Flor, que é professora desta arte”. O livro de Jorge é uma das obras literárias brasileiras conhecida pelo mundo todo e uma das obras primas do autor.
A história conta a vida de Flor, que depois de seu marido Vadinho morrer, casa-se de novo com Teodoro Madureira. Algum tempo depois de casar-se com seu segundo marido o espírito de Vadinho aparece provocando-a. A história se desenrola com o espírito de Vadinho tentando reconquistar a esposa, esta faz de tudo para se livrar do espírito, até apelando para simpatias. No final Flor sucumbi aos encantos de espírito e passa a viver com ele e o novo marido, o Madureira.
Como comenta o site Resumo de Livros, no livro aparecem misturas religiosas, com seus santos e crenças, do catolicismo e do candomblé.
Dirigido por Bruno Barreto, o filme segue a linha do livro. Comédia de 1976 o filme foi recordista de público no cinema brasileiro da época, levando cerca de 12 milhões de espectadores aos cinemas, segundo o adoro cinema . O filme foi refilmado nos Estados Unidos como Meu Adorável Fantasma, e foi adaptado também para a televisão como mini-série da Rede Globo em 1998.
Além disso, ganhou dois prêmios; no Festival de Gramado como melhor diretor e trilha sonora e no Globo de Ouro como Melhor filme estrangeiro.
Além de ter sido mini-série e filme o livro também sofreu adaptação para o teatro, e está sendo exibidas numa turnê, dirigido por Pedro Vasconcelos com Carol Castro, Marcelo Dias e Duda Ribeiro, que a partir de janeiro de 2009 estará se apresentando no Rio de Janeiro.

Sinopse:Durante o carnaval de 1943 na Bahia, Vadinho (José Wilker), um mulherengo e jogador inveterado, morre repentinamente e sua mulher, Dona Flor (Sônia Braga), fica inconsolável, pois apesar dele ter vários defeitos era um excelente amante. Mas após algum tempo ela se casa com Teodoro Madureira (Mauro Mendonça), um farmacêutico que é exatamente o oposto do primeiro marido. Ela passa a ter uma vida estável e tranqüila, mas tediosa e, de tanto "chamar" pelo primeiro marido, ele um dia aparece nu na sua cama. Então ela pede ajuda a uma amiga, dizendo que quase foi seduzida pelo finado esposo. Um pai de santo se prontifica a afastar o espírito de Vadinho, mas existe um problema: no fundo Flor quer que ele fique, pois há um forte desejo que precisa ser saciado
Fonte: Adoro Cinema
TAILER

Um comentário:

Pamela =p disse...

Êta essa história já deu o que falar, me lembra muito daquela novela, que tinha Paco (acho que pecado tropical.. ou algo parecido!) onde, existia os personagens, cujo se identificavam, muito com essa história!!
Muito boa a intenção dos autores, querendo mostrar os beneficios, e maleficios, de algumas religiões, as diferenças culturais!!

Ameii a postagem!!
Me ajuda, a entender melhor o sentido do autor!

Beijoo